O PERFIL DA IGREJA DE CRISTO

17 Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.

18 E Jesus, andando ao longo do mar da Galiléia, viu dois irmãos-Simão, chamado Pedro, e seu irmão André, os quais lançavam a rede ao mar, porque eram pescadores.

19 Disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.

20 Eles, pois, deixando imediatamente as redes, o seguiram.

21 E, passando mais adiante, viu outros dois irmãos-Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, no barco com seu pai Zebedeu, consertando as redes; e os chamou.

22 Estes, deixando imediatamente o barco e seu pai, seguiram-no.

23 E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino, e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo.

24 Assim a sua fama correu por toda a Síria; e trouxeram-lhe todos os que padeciam, acometidos de várias doenças e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos, e os paralíticos; e ele os curou.

25 De sorte que o seguiam grandes multidões da Galiléia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judéia, e dalém do Jordão.

 

MATEUS: 4.17-25

 

       Depois de ter sido submetido ao deserto e as tentações, tendo vencido as inclinações das paixões e necessidades humanas o Senhor Jesus começou a formar a sua igreja escolhendo os discípulos que posteriormente os chamou de apóstolos. Com sinais e manifestações de poder, Jesus ensinava e preparava seus discípulos para a Igreja que pretendia formar a partir deles como porta-vozes dele depois de sua ressurreição. Assim a Igreja de Cristo começou.

       Em sua preparação para a obra que estava começando, os doze discípulos receberam autoridade e poder, para em nome de Jesus fazerem milagres e repelirem demônios libertando as pessoas de suas doenças e entidades espirituais que as oprimia; além de anunciarem o Evangelho que trazia uma mensagem de esperança e vida aos que os ouviam. Depois dos doze, Jesus comissionou mais setenta com a mesma autoridade dando sequência ao projeto de Deus o Pai, de alcançar pela sua graça o maior número de pessoas possível com a mensagem de salvação contida no novo modo de revelar a Deus e sua vontade.

      Esse perfil religioso se diferenciava das formas religiosas existentes em sua expressão, pois não excluía as pessoas por sua classe social, conduta, etnia, cultura ou religião, como faziam os religiosos Fariseus e Saduceus; antes incluía a todos e substituía toda e qualquer forma religiosa que oprimia e excluía pessoas.

”Era uma nova doutrina com autoridade” como assim diziam! Mas, mesmo sendo comprovada a manifestação do poder de Deus e o cumprimento das profecias a respeito do Senhor Jesus como sendo Ele o Messias, sofreu sua primeira traição de um de seus discípulos que por apenas trinta moedas de prata o entregou aos que detinham a autoridade política e religiosa; (como estava escrito nas profecias).

      Com a Morte e ressurreição de Cristo, o Espírito Santo foi derramado sobre cerca de cento e vinte discípulos incluindo os Apóstolos em uma das principais festas judaica celebrada cinquenta dias depois da páscoa, o Pentecostes; que liderados por Pedro e Tiago iniciaram o maior movimento evangelístico daqueles dias dando continuidade a igreja iniciada pelo Senhor Jesus Cristo com os doze discípulos. Tendo Judas se perdido, os apóstolos escolheram a Matias para substituí-lo. O crescimento da igreja despertou a ira dos inimigos da fé em Cristo de modo que, uma grande perseguição se levantou contra os Cristãos; em uma dessas investidas contra os discípulos de Jesus, Um oficial judeu com cidadania romana, chamado Saulo de Tarso, profundo conhecedor das Escrituras Sagradas protestava e tentava destruir aquela nova religião que eles consideravam superstição e conspiração contra a tradição judaica e política romana, trazendo consigo mandato de busca para prender os pregadores do evangelho. Porém, no caminho de Damasco uma forte luz o interceptou de modo que o cavalo se espantou e Saulo caiu; e do meio da luz uma voz lhe falou dizendo: ”Saulo, Saulo, porque me persegues”? Saulo perguntando quem falava, Jesus disse: ”Eu sou Jesus a quem tu persegues”! Com isso ele foi a Damasco e conforme a orientação do Senhor, foi visitado por Ananias que orou por ele e escamas caíram de seus olhos e voltou a enxergar e foi batizado e cheio do Espírito Santo e passou a ser o apóstolo Paulo o maior expoente do Evangelho de Cristo (Atos 9).

      No primeiro século, a igreja conservava o perfil da doutrina de Cristo e dos Apóstolos e se mantinha em crescimento caindo na graça de todos e perseverando na oração vivendo e pregando o evangelho em seu modelo original, correspondendo o Senhor com sinais milagrosos feitos pelas mãos dos discípulos, a pesar de algumas perseguições.

      A partir do segundo século, depois da morte dos Apóstolos, muitos dos novos discípulos e Apóstolos, em busca de alcançar outras nações com a mensagem de salvação, começaram a adotar meios e posturas culturais, artísticas e filosóficas como ferramentas dessa pretensa evangelização; isso foi um laço para eles, pois a influencia política logo começou a interferir, de modos que, o perfil da igreja inicial começou a se perder; e os líderes da igreja começaram buscar status e posição privilegiada nas classes sociais e assim entrou a apostasia na igreja que logo se dividiu entre os que conservavam a fé e os que estavam pervertendo o evangelho adaptando um modelo ecumênico com as religiões e filosofias grega e romana. Essa adaptação agradou aos ”imperadores” que beneficiaram os chamados pais da igreja que passaram a ser custeados pelo estado e corromperam a igreja de Cristo.

      No terceiro século um Imperador chamado Constantino oficializou o cristianismo religião do império romano dando início assim o que conhecemos hoje como Igreja Católica Apostólica Romana. O remanescente que se conservou foi suprimido e ao longo dos séculos seguintes viveram impedidos de falar do evangelho inicial. A força política conferida aos pais da igreja era uma tentativa de restaurar o império romano em decadência, iniciando assim o período medieval ou das trevas [Idade Média] com o domínio do papado e seus métodos de opressão e punição da inquisição que torturava e matava a todos que se opunham ao domínio dos Papas na fogueira. Nesse período, todos os saberes foram suprimidos e principalmente o saber da Bíblia que não poderia ser lida e nem ensinada. Com isso o perfil da Igreja de Cristo foi morto por aqueles que apostataram da fé do evangelho.

 

 

1 Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos;

2 pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios,

3 sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem,

4 traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,

5 tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também desses.

6 Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências;

7 sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar ao pleno conhecimento da verdade.

8 E assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé.

9 Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesta a sua insensatez, como também o foi a daqueles.

10 Tu, porém, tens observado a minha doutrina, procedimento, intenção, fé, longanimidade, amor, perseverança,

11 as minhas perseguições e aflições, quais as que sofri em Antioquia, em Icônio, em Listra; quantas perseguições suportei! e de todas o Senhor me livrou.

12 E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições.

13 Mas os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados.

 

II Timóteo: 3.1-13 

 

       No século XVI, o movimento protestante começa a ressuscitar o perfil da Igreja de Cristo liderado por Martinho Lutero e João Calvino e outros [tempo em que o Brasil estava sendo descoberto] esse movimento fez ruptura política, cultural e sobre tudo religiosa e filosófica; com isso a Bíblia começou a ser lida e ensinada ressuscitando assim o perfil Cristão que precisamos preservar; as palavras de Jesus são Espírito e Vida mantenha sua fé ouvindo e praticando o evangelho.

       Satanás continua fazendo aos lideres de hoje as mesmas propostas que fez a Jesus no deserto e fez aos pais da igreja substitutos dos primeiros Apóstolos; isso fez com que a igreja permitisse o domínio de satanás através do império romano e do papado por cerca de mais de um milênio.

 

 

1 Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino;

2 prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino.

3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos,

4 e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas.

5 Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério. 

 

II Timóteo: 4.1-5

  

 

Deus abençoe a todos!

 

 

 

Pr. José Roberto Lira

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *